• crisnacaroline

Vem conhecer "Evidence of the Affair", conto epistolar de Taylor Jenkins Reid (Resenha)

Até bem pouco tempo, minha experiência de leitura com Taylor Jenkins Reid se limitava a “Os Sete Maridos de Evelyn Hugo”. Se você nunca ouviu falar do livro, talvez já tenha visto por aí o burburinho sobre “Daisy Jones and the Six”, mas é fato que TJR (como os fãs se referem frequentemente à autora) é bastante prolífica, e vêm publicando uma obra por ano desde 2013, exceto 2020, (quase todas podendo ser encontradas em português), com o lançamento de "Malibu Rising" já garantido para junho de 2021. Então, você já deve ter esbarado com alguma delas por aí:


- Forever, Interrupted (2013);

- Depois do Sim (2014);

- Em Outra Vida, Talvez? (2015);

- Amor(es) Verdadeiro(s) (2016);

- Os Sete Maridos de Evelyn Hugo (2017);

- Evidence of the Affair (2018);

- Daisy Jones & The Six (2019);

- Malibu Rising (2021).


Evelyn Hugo foi um dos meus livros preferidos do ano passado, e talvez por isso, ironicamente, eu seja tão resistente em ler outras obras da autora. Conheço muitas pessoas que não acham as outras obras escritas por ela “lá essas coisas”, e eu tenho medo de ir com as expectativas muitos altas e me decepcionar.


Em fevereiro, descobri disponível na assinatura do Kindle Unlimited “Evidence of the Affair”, escrito por ela para a série “Amazon Original Stories”, um conto longo cuja sinopse me deixou curiosa. Decidi arriscar.


A história é uma narrativa epistolar que se inicia com uma carta enviada por Carrie a David, ninguém menos que o marido da amante de seu esposo, na qual ela diz que encontrou cartas enviadas por Janet (a amante) nas coisas de seu marido, e pede a ele que, caso encontre cartas de Ken (o marido) nas coisas dela, por favor, lhe envie cópias. É aí que o inesperado acontece: Carrie e David, levados pelo sofrimento em comum, começam, também, a trocar cartas e abrir seus sentimentos um para o outro.


O pano de fundo da narrativa é os anos 70, o que torna possível (e crível) a existência de tais mistérios que hoje em dia seriam descobertos em um clique através das redes sociais. A época também contruibui para que fique ainda mais marcado o sexismo na sociedade, que TJR inseriu tanto em Carrie, cujo maior objetivo é ter um bebê e deixar seu marido abusivo feliz, quanto em David, que se sente pressionado a ser um melhor provedor de seu lar.


Vi algumas pessoas incomodadas com a rapidez na entrega das cartas entre os personagens. Eu não vivi nos anos 70, mas não achei tão estranho, se considerarmos que eles moram em cidades muito próximas. Pessoalmente, fiquei um pouco incomodada com a motivação de Carrie para tomar algumas decisões, mas talvez faça mais sentido para algo que teria acontecido 50 anos atrás, e é só meu olhar de millennial em relação a questões de gênero sendo crítico.


Ainda assim tornou-se um favorito. É uma leitura super rápida (o que é a proposta dessa série da Amazon) e bastante fluida. Para quem lê em inglês e assina o Kindle Unlimited ou o Prime Reading (ou quiser comprar o e-book por R$10,63) é uma ótima pedida para intercalar com obras densas e extensas.